• 3

 

Quer saber mais sobre balão intragástrico tratamento emagrecimento Curitiba

O balão intragástrico tem o formato de uma bola e seu material é de silicone, extremamente resistente, maleável e preenchido com material líquido em cor azul.

Vamos responder as 16 principais dúvidas em torno do procedimento de balão intragástrico:

  1. O procedimento para colocar o balão intragástrico é cirúrgico?

Não, é um procedimento simples, sua introdução é realizada por meio de endoscopia digestiva alta, utilizando sedação. Sua retirada também é feito por meio de endoscopia.

  1. É possível sentir o balão no meu estômago?

Sentir a algo diferente dentro do estômago ao colocar o balão intragástrico pode variar de pessoa para pessoa.

Há relatos de que no início do tratamento a percepção de ter algo no estômago é maior, conforme vai passando o tempo de tratamento essa sensação vai diminuindo. Alguns relatam a sensação de “estômago alto”, o que pode ser relacionado ao fato de realmente ter uma “bola” no estômago.

  1. Após a colocação do balão intragástrico como ficam as restrições das minhas atividades?

Geralmente após três dias do procedimento de colocação do balão as atividades do dia a dia podem ser retomadas, incluindo exercícios físicos, só é preciso evitar praticar exercícios que tenham alto impacto abdominal.

  1. Com o balão intragástrico não vou sentir fome?

O balão não vai tirar a sua fome, mas ela tende a diminuir. Isso ocorre pois o balão passa a ocupar um espaço no estômago provocando uma sensação de saciedade precoce. 

Esse efeito fica bem evidente nos primeiros três meses do tratamento. 

Esse efeito facilita a realização de dietas hipocalóricas, que costumam ser mais difíceis de seguir. 

A presença do balão intragástrico vai inibir a fome orgânica, seu organismo querendo comer, a fome psicológica, a compulsão não. Sendo necessário com isso um acompanhamento multidisciplinar durante o tratamento.

  1. É necessário utilização de medicamentos ao colocar o balão intragástrico?

Alguns remédios são necessários para adaptação do tratamento médico, é necessário por exemplo controlar a acidez do estômago durante a permanência do balão ou o uso de medicamentos que ajudem a controlar a compulsão alimentar. Mas a ideia do balão é ser um tratamento mais saudável, com a ingestão mínima de química possível.

  1. O líquido do balão gástrico pode vazar?

Existe baixa indecência de registro na literatura médica do vazamento do líquido do balão. No entanto o balão é preenchido por líquido azul, se o paciente urinar seguidas vezes na cor esverdeada, pode indicar que ocorreu o extravasamento do balão. Após uma endoscopia o balão pode ser retirado e se no período de garantia, substituído.

  1. O balão pode se romper dentro do meu estômago?

Sim, isso pode acontecer, com o passar do tempo de uso, por conta da ação do suco gástrico, alimentos e fungos depositados sobre a parede do balão, o que pode levar a romper, principalmente após o período recomendado de permanência do balão, seu tempo de “validade”. Vale destacar a importância de um médico qualificado e a utilização de balão de qualidade no procedimento.

Em Curitiba o Dr. Daniel Locateli é médico e tornou se especialista em tratamentos de obesidade com balão intragástrico, gastroenterologia e endoscopia digestiva. Os seus pacientes apresentam uma média de emagrecimento 15 a 20% do seu peso corporal, lembrando que dieta e atividade física são fundamentais para se atingir o objetivo desejado.

  1. Fungos? É possível contaminação do balão por fungos?

Sim, é possível. De acordo com a literatura médica esse índice não passa de 5% dos balões que são colocados. No entanto isso não é de fato um problema para o paciente, pois essa colonização de fungos é assintomática. O maior problema do fungo no balão intragástrico são: o aumento da sua fragilidade, o que diminuí sua vida útil e em raros casos o aumento da espessura do balão, dificultando a sua retirada por meio de endoscopia.

  1. É necessário tomar antibiótico por causa dos fungos?

Normalmente não. Os fungos normalmente não sobrevivem no ambiente ácido de um estômago normal. Como já mencionado, durante todo o tratamento se faz necessário o uso de antiácidos, que tornam o estômago mais alcalino. Uma forma alternativa ao uso do antiácido é aumentar a digestão de sucos mais ácidos.

  1. O acompanhamento médico durante o tratamento é necessário?

É importante um acompanhamento médico multidisciplinar, que envolva profissionais da área de nutrição, endocrinologia, nutrólogo, psiquiatria e psicologia. Em conjunto podem ajudar a perda de peso desejada e a conscientização da necessidade de um estilo de vida mais saudável como aliado nessa meta.

  1. Quando eu retirar o balão intragástrico em Curitiba, nunca mais voltarei a engordar?

A manutenção do peso depende de disciplina, mudança de hábitos e força de vontade. 

Durante os seis meses de uso do balão é importante que com as orientações dos profissionais indicados se busque a reeducação alimentar, bem como a prática de atividades físicas, pois esses hábitos vão possibilitar que a manutenção do peso mesmo após a retirada do balão intragástrico.

A ideia do balão é ajudar no processo de emagrecimento e reeducação alimentar, ajudando a reduzir a fome e colaborando de forma efetiva para reduzir o peso do paciente.

O mais importante é ter em mente que manter o peso após sua redução, depende de uma mudança no estilo de vida e na alimentação.

  1. Tem algum efeito colateral na colocação do balão?

Nos primeiros três dias é comum que o paciente sinta enjoo, tenha quadro de vômito e dor abdominal. 

Isso acontece pois o organismo está se adaptando a presença do balão. Sendo recomendado que se faça dieta líquida, trocando os alimentos fluídos gradualmente por texturas pastosas.

Após o período de adaptação o desconforto diminui bastante.

  1. Após seis meses com o balão, eu realmente preciso retirar?

Essa decisão é uma decisão médica, que depende da escolha do balão. Sendo o prazo máximo de permanência da maioria dos balões de seis meses. Estudos apontam que o balão não possui mais eficácia após esse período de seis meses. Após a retirada do balão para ser colocado outro é necessário um intervalo de pelo menos dois a três meses.

  1. Há garantias de resultado, eu irei realmente emagrecer com o balão intragástrico?

Não. Assim como qualquer procedimento médico não há garantias, o resultado do tratamento não depende somente do balão, temos inúmeros fatores que influenciam no resultado, como: Um acompanhamento nutricional adequado, com restrição calórica e exercícios físicos. Além disso, cada organismo possui uma velocidade de perda de peso.

  1. E se eu engravidar durante o uso do balão intragástrico, o que acontece?

A perda de peso aumenta a fertilidade, por conta disso é indicado que se mantenha o uso de métodos contraceptivos durante o tratamento.

Mas se acontecer de engravidar, o indicado é entrar em contato com seu ginecologista, para decidir o melhor momento de retirada do balão intragástrico. 

O balão não afeta em nada a formação do feto, no entanto a desnutrição causada pelo balão sim pode trazer problemas para o desenvolvimento do feto.

  1. Sou bariátrica, posso utilizar o balão?

Qualquer cirurgia realizada no estômago ou esôfago torna contraindicado a utilização do balão intragástrico.

Os benefícios que o balão intragástrico proporciona aos pacientes que escolhem esse método são inúmeros, podendo ser destacado a possibilidade de adotar um estilo de vida mais saudável, gerando com isso a perda de peso desejada e sua constante manutenção.

    Abrir Whatsapp
    Agende sua consulta
    Olá! Agende sua consulta com o Dr. Daniel via Whatsapp clicando abaixo.